17 dezembro 2008

VW como sistema Mi AP 1.6, 1.8 e 2.0

Assunto: Partida a quente

Quando damos partida num motor aquecido, normalmente temos alguma dificuldade de colocá-lo em funcionamento, porque o calor irradiado para o coletor de admissão e para o tubo distribuidor de combustível, provoca evaporação da gasolina e dificulta a partida a quente.

Para contornar esta dificuldade, nos motores citados acima, a unidade de comando mantêm-se energizada, mesmo com a ignição desligada, por um período, numa estratégia chamada "power latch".

Durante o "power latch" a unidade de comando monitora as temperaturas do motor e do ar para adotar procedimentos que assegure uma partida, a quente, satisfatória. Estes procedimentos, bem como a duração do "power latch" depende do sistema de injeção aplicado no veículo.

No sistema 1AVB a duração o "power latch" é de 10 minutos e a estratégia da unidade para garantir uma boa partida a quente é corrigir a posição do motor de passo para que o motor entre em funcionamento de imediato ao dar partida. Já no sistema 1AVP a duração do "power latch" é de 1 hora, tempo que a UC monitora as temperaturas do motor e do ar para determinar, através de um mapa especifico presente em sua memória, a temperatura do combustível. Com esta informação a UC adota uma breve aceleração do motor, que depende da temperatura do combustível, estando ela limitada a 1.500 rpm. Isto objetiva facilitar a sangria dos vapores do sistema assegurando partida imediata mesmo com temperaturas elevadas.

SISTEMA: Marelli/1AVB, 1AVP

Nenhum comentário: