17 dezembro 2008

Ford- corpo de borboleta

Todo o corpo de borboleta Ford traz a mensagem : " Do not clean inside throttle body or adjust hard screw " .

Eles recebem, na região do assentamento da borboleta, um tratamento especial com teflon e grafite ( parecido com aqueles aplicados em frigideiras tipo T-Fal ) com a função de evitar a formação e aderência de crostas sólidas e conseqüentemente, o prendimento da borboleta.

Crostas e borras macias não precisam ser removidas neste sistema, e o tratamento evita que se transforme em sólidas. Este tratamento ( junto com as crostas e borras naturais ) é removido total ou parcialmente com a aplicação de solventes. E isto sendo feito, gera problemas na marcha lenta, pois nos sistemas de controle eletrônico Ford, todo o ar de alimentação para a marcha lenta é controlado pelo módulo através do atuador IAC que modula uma passagem de ar de grande calibre.

Não existe abertura de borboleta para ar adicional de marcha lenta e nem orifícios micrométricos calibrados. Esta forma de controle eletrônico e não mecânico, garante precisão na calibragem do sistema e no controle de emissões.

A remoção do tratamento "cria" uma passagem de ar adicional que altera a rotação de marcha lenta em relação aos parâmetros gravados na tabela do controle adaptativo do módulo.O módulo busca valores na tabela padrão e como não obtém a rotação adequada, os parâmetros de ajustes do controle adaptativo fica fora de faixa.

Não há nenhuma necessidade de se lavar estes corpos, pois não possuem nenhum orifício micrométrico como os carburadores ou os outros sistemas de controle eletrônico. A formação destas borras não afeta a rotação de marcha lenta.

Existem duas formas de se tentar solucionar o problema.

1 - Desligar o cabo da bateria por pelo menos 5 minutos para que as tabelas do controle adaptativo sejam resetadas. Funcionar o motor em marcha lenta ( NÃO acelerar), aguardar por 15 minutos que uma nova tabela seja iniciada e construída pelo módulo, ligando e desligando consumidores elétricos( A/C, faróis, etc) por varias vezes. Depois, dirigir o veículo, por trechos de aclive e declive, acelerando e efetuando freio motor e por trechos planos com aceleração normal e velocidades constantes por aprox. 16 km. Normalmente, espera-se que a marcha lenta assuma a rotação adequada ou pouco acima depois destes procedimentos.

2 - Se o procedimento acima não surtir efeito e a rotação ficar ainda muito alta, deve-se rodar com o veículo até que uma crosta de fuligem seja formada e preencha o espaço criado pela remoção do tratamento. Não existe estimativa de km a ser rodada pois diversos fatores influenciam a formação da fuligem. Em alguns casos, isto não resolve, sendo necessário a substituição do corpo.
Tentar alterar a posição da borboleta por qualquer meio só vai gerar problemas a curto e longo prazo ( consumo, prendimento da borboleta,etc). Para evitar que se formem grandes quantidades de borras, deve-se examinar o nível de óleo (NUNCA acima da marca MÁX) e aparência, sua qualidade e especificação, o sistema de respiro do motor (PCV), filtro de ar, compressão, etc...

Sistema: FIC EEC-IV e EEC-V

Nenhum comentário: